25 de ago de 2009

Descoberta nova função de CCs Estaduais



Me surpreendi no último dia 14, enquanto fazia meu trabalho para uma cadeira de foto da faculdade. Durante um protesto de centenas (ouvi dizer que mais de duas mil) pessoas) contra o governo Yeda em frente ao Palácio Piratini, em Porto Alegre, um pequeno grupo trazia faixas com frases de apoio a Governadora.
O que me causou mais intriga foi a organização daquelas menos de 50 pessoas. Portavam faixas que pareciam ser feitas por encomenda de uma unica pessoa (ou partido) e bradavam a favor da nossa querida professora (já há tanto excomungada pelas colegas) como se seus empregos dependessem disso!
A diferença numerica entre os grupos era visível, mas mesmo assim alguns minutos depois o Twiter do nosso sempre imparcial jornal gaúcho, a Zero Hora, anunciava "Grupos pró e contra Yeda trocam provocações na Praça da Matriz".
Me faz parar e pensar...
Será que quem lê a notícia e quem presencia a cena têm a mesma noção? Será que o trabalho da imprensa está sendo bem executado? Será que o juramento de levar a verdade e ser imparcial está sendo cumprido?

Não sei. Só sei que foi assim.

2 comentários:

Fábio Fraga disse...

Tchêê! Primeiro, tu escreve bem pacas o.O "brandavam a favor . . . .", segundo, o sujeito que fez o post no twiter DE CERTO MODO esta certo, é claro que a meu ver, pois eram dois grupos, é claro que um deles em COMPLETA minoria.

Mas em relação a politica, vendo pelos dois lados da comunicação, a Yeda ta beeem fudida xD


um AAAbraassss

lulu madden disse...

Ou será que "quem faz a notícia vê ou quer que os leitores vejam da mesma forma que alguém que presencia a cena"?
É o que eu me pergunto sempre, mas é muito claro que o nosso jornal tem suas posições e parece que não tem preocupação em esconder a parcialidade.